PORTFÓLIOS

Projeto Kigali


O Projeto Kigali nasceu como uma iniciativa que visa a contribuir para a mudança do perfil de consumo energético do setor de ar condicionado no Brasil, aproximando-o das melhores práticas internacionais de forma integrada à transição segura para gases refrigerantes de baixo GWP.

Com esta iniciativa, iCS objetiva não somente aproveitar o potencial de mitigação das emissões de gases de efeito estufa no setor elétrico brasileiro, como também proporcionar uma real economia para o consumidor, além, é claro, de promover um mercado mais inovador e competitivo para o setor de ar condicionado.

De modo a cumprir este objetivo, o Projeto Kigali estrutura-se em quatro componentes:

  • Instigar esforços para que o planejamento do setor elétrico preveja medidas de eficiência energética no setor de ar condicionado e que, uma vez desenvolvido o plano de redução dos HFCs, este tenha links com a eficiência energética.

  • Trabalhar para a revisão dos níveis mínimos de eficiência energética, do Programa Brasileiro de Etiquetagem e do selo PROCEL, de modo que se aproximem das melhores práticas internacionais.

  • Contribuir para o melhoramento da eficiência energética do setor de compressores;

  • Alavancar o financiamento para o suporte à transformação do mercado de condicionares de ar.

http://kigali.org.br




Diálogos Futuro Sustentável


Diálogos Futuro Sustentável é uma série de encontros internacionais, resultado de uma parceria entre o iCS e a Embaixada da Alemanha no Brasil, que nasceu de um longo histórico de cooperação entre os dois países na área climática. Esse compromisso foi reafirmado em 2015 pela assinatura de uma Declaração Conjunta sobre Mudança do Clima, que se tornou uma importante plataforma para que Brasil e Alemanha cooperem na realização dos objetivos e metas do Acordo de Paris.

Objetivos:

Realizar encontros internacionais sobre temas-chave para o intercâmbio de experiências, práticas e conhecimentos na direção das metas locais e globais relativas ao clima.

Colocar o tema das mudanças climáticas no centro da pauta de desenvolvimento nacional, especialmente nas agendas política, social, econômica e empresarial de curto e médio prazos.​

Difundir e debater estratégias para o desenvolvimento sustentável.

Motivar e potencializar ações multilaterais e multissetoriais que levem ao cumprimento das metas do Acordo de Paris.

https://www.dialogosfuturosustentavel.org




E+ Transição Energética


E+ é uma iniciativa do Instituto Clima e Sociedade (iCS) que nasceu para tornar-se mais tarde uma organização independente, com time interdisciplinar que fornece análises, estudos e ideias sobre problemas das conjunturas política e econômica, com foco na transição energética brasileira, em direção a uma economia de baixo carbono. A atuação de E+ parte da identificação de tendências e barreiras à construção de um setor de energia brasileiro com baixa emissão de gases de efeito estufa (GEE). Além disso, avalia também as contribuições desse setor para os demais setores econômicos nessa mesma direção.

A iniciativa está está comprometida em colaborar para tornar a transição energética brasileira bem-sucedida. Seu principal papel nesse processo é alcançar a convergência de posições entre tomadores de decisão de esferas públicas e privadas, sobre como alcançar os objetivos principais dessa redefinição da matriz energética no menor prazo possível. Isso requer o debate permanente entre atores relevantes da política energética, em direção a decisões democraticamente construídas, capazes de influenciar decisões políticas.

A transição energética trata de uma mudança profunda nas estruturas econômica, social e política no país, e o maior desafio brasileiro nesse processo é equalizar diferentes visões, necessidades e prioridades para alcançar um planejamento que viabilize a expansão do sistema de maneira limpa, com recursos prioritariamente renováveis, e com benefícios para toda a sociedade. O desafio do E+ está em identificar e buscar respostas pragmáticas sobre quais desafios precisam ser superados, quais tarefas são fundamentais e quais são as soluções concretas para essas questões.




Plataforma Subnacional para o CLIMA


A Plataforma Subnacional para o CLIMA é uma iniciativa para apoiar ações em rede que levem a maior ambição climática por cidades e estados brasileiros.

Ela surge da necessidade de conectar atores subnacionais governamentais às organizações com expertise técnica e atuação local, facilitando a implementação de políticas e compromissos e dando visibilidade aos resultados da ação climática local.




Convergência pelo Brasil


A Convergência pelo Brasil nasceu da mobilização de ex-ministros da Fazenda e ex-presidentes do Banco Central em torno da percepção de que a recuperação da economia brasileira pós Covid 19 implicará imensos desafios à sociedade. E, também, da convicção de que para reparar os problemas sociais e econômicos agravados pela crise sanitária, e voltar a crescer de forma sustentável, o país terá de considerar os riscos climáticos na definição de medidas de ajuste e estímulos internos, bem como nas ações voltadas a ampliar sua integração internacional.




Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica


A mobilidade elétrica – seja com veículos levíssimos, leves ou pesados – é uma resposta já concreta a vários desafios econômicos e ambientais em todo o mundo. O Brasil, com sua importante indústria automobilística e suas demandas muito particulares para o transporte de pessoas e cargas, tanto no âmbito urbano quanto entre cidades, também já abraça a mobilidade elétrica como mais uma oportunidade para promover o desenvolvimento econômico e social de maneira sustentável.

Se, por um lado, são numerosas as instituições brasileiras envolvidas em ações em prol da mobilidade elétrica no país; por outro, ainda não contávamos com uma estrutura de governança que articulasse estas discussões e iniciativas com o objetivo de aumentar a sua eficácia. A atuação de tais estruturas tem sido fundamental para o avanço da mobilidade elétrica em lugares como os Estados Unidos, China, Europa e Chile. O trabalho em rede potencializa a troca de informações e contribui com a consolidação de mecanismos de aprendizagem e de formação de competências. A definição de metas para o desenvolvimento da tecnologia de mobilidade elétrica, além de objetivos de consumo e produção, auxilia os atores envolvidos e aponta caminhos possíveis. É neste contexto que a Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica (PNME), um esforço conjunto de importantes atores do Governo, da Indústria, da Academia e da Sociedade Civil brasileiros, nasce como um espaço para a construção de metas de longo prazo para a mobilidade elétrica no Brasil, considerando os pontos de vista ambientais, tecnológicos, de políticas governamentais e do mercado. Portanto, a PNME é não apenas um espaço de convergência de objetivos e alinhamento de expectativas, mas também um vetor para a entrega de soluções concretas que atendam a tais expectativas.