• iCS - Clima e Sociedade

Motosserra mais que ativa

Na última temporada, desmatamento na Amazônia aumentou 9,5% em relação ao mesmo período anterior. Ao todo, mais de 11 mil km² de floresta foram perdidos, segundo o Inpe. Confira!


Não foi uma surpresa, mas agora é oficial. O desmatamento na Amazônia cresceu 9,5% entre agosto de 2019 e julho de 2020 em comparação à temporada anterior, o equivalente a mais de 11 mil km². Os números são do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e significam, nada mais, nada menos, do que a maior área de desmatamento registrada desde 2008 na região, quando o Prodes apontou 12.911 km². Na triste liderança dos rankings entre os estados está o Pará, com quase metade do desmatamento nesta temporada.


De acordo com o Observatório do Clima (OC), a publicação oficializa o descumprimento brasileiro das metas da Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC). Enquanto a lei definia redução da taxa a um máximo de 3.925 m², a realidade mostra o país 180% acima. Este fato, claramente, coloca o Brasil em desvantagem na tentativa de impender seus compromissos assumidos no Acordo de Paris.


“Levando-se em conta a média dos dez anos anteriores à posse de Jair Bolsonaro, o desmatamento cresceu 70%: de 2009 a 2018, a média apurada pelo Inpe foi de 6.500 km2 por ano”, diz o OC. Leia o release da ONG e também a matéria do O Globo.


Crédito: Agência Brasil


iCS - Instituto Clima e Sociedade 2020 | Todos os direitos reservados